UM PATRIMÓNIO DE INOVAÇÃO

Em todas as gerações, a Volvo tem sido uma pioneira.

1959 – Cinto de segurança de três pontos

Existem poucos homens no planeta que tenham salvo tantas vidas como o engenheiro da Volvo Nils Bohlin que introduziu os cintos de segurança de três pontos na produção em série do PV544. Desde então, estima-se que mais de um milhão de vidas foram salvas pela Volvo Cars ter renunciado aos seus direitos de patente para que todos pudessem beneficiar.

1972 – Cadeira de segurança de criança voltada para a retaguarda

Lembra-se daquelas imagens antigas de astronautas a deitarem-se sobre as costas durante a descolagem para nivelar as forças? Bem, este foi o princípio básico por detrás das cadeiras de criança voltadas para a retaguarda, ou seja, distribuir a carga e minimizar as lesões. Depois, inovámos em 1976 com o banco elevatório de criança e novamente em 1990 com um assento elevatório integrado dentro do banco.

1976 – Sonda Lambda

A sonda Lambda foi outra contribuição da Volvo Cars para um ambiente mais limpo. Um pequeno dispositivo do tamanho de um dedo – na verdade trata-se de uma sonda de deteção de oxigénio – significou uma redução das emissões de escape prejudiciais em 90%. E passados quase 40 anos praticamente todos os automóveis com motor a gasolina do mundo estão equipados com uma sonda Lambda.

1991 – Proteção contra impactos laterais

Outro passo importante para a segurança foi o Side Impact Protection System ou SIPS (Sistema de Proteção Contra Impactos Laterais). Este sistema era uma parte integral do design do automóvel e incluía uma estrutura muito robusta e materiais que absorviam a energia no interior, uma barra transversal no piso e até bancos reforçados. A isto seguiu-se, em 1994, outra estreia mundial, os airbags de impacto lateral.

1998 – Sistema de proteção contra o "efeito de chicote"

O "efeito de chicote" é uma lesão dolorosa e potencialmente dispendiosa. É também bastante comum, por isso focámo-nos em reduzir as lesões provocadas por colisões a baixa velocidade. O sistema consiste num apoio de cabeça muito robusto próximo da cabeça do ocupante e de um design de banco inteligente que proporciona apoio uniforme numa colisão. O resultado é que o risco de problemas de saúde de longa duração foi reduzido para metade.

1998 – Airbag

O Airbag foi ainda outro passo em frente em termos de segurança para a Volvo Cars. Está oculta no forro do teto e abrange todo o comprimento do habitáculo – em caso de impacto lateral, a cortina é insuflada em apenas 25 milésimos de segundo e pode absorver 75% da energia gerada quando a cabeça é atirada para os lados.

2002 – Roll-Over Protection System (ROPS)

Com a popularidade crescente dos SUV, pensámos que era altura de introduzir a nossa próxima inovação em segurança: a proteção contra capotamentos. Abordámos o problema segundo duas perspetivas. Em primeiro lugar, melhorámos a estabilidade do nosso SUV com um sofisticado sistema eletrónico, o Roll Stability Control (Controlo de Estabilidade de capotamento), e, em segundo lugar, melhorámos a estrutura de segurança do automóvel com aço ao boro extremamente resistente no tejadilho.

2003 – Blind Spot Information System (BLIS)

Quando os condutores mudam de faixa de rodagem, um breve momento de falta de atenção pode ter consequências catastróficas se o condutor não detetou outro automóvel no ângulo morto. Por isso, decidimos que os nossos automóveis também iriam estar atentos a este problema – o nosso sistema BLIS usa câmaras e radar para vigiar os veículos ao lado e mais à retaguarda do Volvo. Quando um automóvel entra na área do ângulo morto, é acesa uma luz de advertência próxima do retrovisor da porta, dando bastante tempo ao condutor para reagir.

2008 – City Safety

Seguem-se algumas estatísticas surpreendentes: 75% de todas as colisões comunicadas ocorrem a velocidades inferiores a 30 km/h e em 50% das colisões traseiras, o condutor de trás nem sequer travou. Vimos aqui uma oportunidade para fazer uma enorme diferença: o nosso sistema City Safety usa deteção a laser para determinar se é provável uma colisão com o automóvel da frente e se o condutor não travar, o automóvel trava. E o sistema funciona até aos 50 km/h.

2010: Deteção de peões com travão totalmente automático

Queremos que as nossas inovações em segurança também beneficiem quem se encontra no exterior dos nossos automóveis. Por isso, desenvolvemos um sistema – com radar e câmaras – que alerta o condutor caso um peão se vá atravessar à frente do automóvel e que depois trava automaticamente se o condutor não o fizer. É também um enorme progresso. Nos EUA, 11% de todas as vítimas mortais de acidentes rodoviários são peões, valor que aumenta para 14% na Europa e para uns verdadeiramente chocantes 26% na China.